Bandeira da Noruega aumentada para 10 anos de alta

8 fevereiro 2018
Diretor Geral de Navegação e Navegação, Olav Akselsen, içando a bandeira norueguesa durante uma cerimônia de mudança de bandeira (Foto: Helga Maria Sulen Sund / Sjøfartsdirektoratet)
Diretor Geral de Navegação e Navegação, Olav Akselsen, içando a bandeira norueguesa durante uma cerimônia de mudança de bandeira (Foto: Helga Maria Sulen Sund / Sjøfartsdirektoratet)

Foram registrados 600 navios registados no Registo Internacional de Navios (NIS) noruegueses até o final de Janeiro, com a maior quantidade de navios no registo desde 2008.

O registro de navios foi caracterizado por declínio até 2015; havia 522 navios no NIS em 2014.
A fim de reverter a tendência negativa, o governo norueguês apresentou várias medidas como parte de sua estratégia marítima que, entre outras coisas, aliviou as restrições da área comercial para os navios registrados no NIS e fortaleceu o regime de doações para o emprego dos marítimos noruegueses.
Como resultado, cerca de 54 dos navios transferidos para o NIS desde 1º de janeiro de 2016 podem estar diretamente ligados às mudanças na área comercial.
A tonelagem bruta da frota registrada no NIS é agora de mais de 15 milhões, o que representa um aumento de 14,3% desde 2014.
"Esta é uma boa notícia para todo o setor marítimo na Noruega, e com maior tonelagem também temos mais influência nos fóruns marítimos internacionais", explicou o diretor-geral norueguês de Envio e Navegação, Olav Akselsen. "Uma frota crescente também pode oferecer oportunidades para os marítimos noruegueses".
O ministro do Comércio e Indústria da Noruega, Torbjørn Røe Isaksen, disse: "Somos uma das principais nações marítimas do mundo e temos tradições longas e orgulhosas no transporte marítimo. Fico feliz que conseguimos transformar a tendência negativa, de modo que mais companhias de frete querem voar a bandeira norueguesa. Isso mostra que nossa política marítima está funcionando ".
"Uma grande frota norueguesa é importante para garantir empregos e nossa competência marítima", acrescentou o ministro.
Categorias: Embarcações, Notícia